Primeira escola sem professores é inaugurada nos EUA

Se já não causasse espanto o fato de não haver professores, a escola também não tem livros e não é paga, iniciativa aposta em aprendizado colaborativo!

O projeto parece ser transformador e revolucionário, onde os alunos passam a aprender entre si compartilhando coisas sobre programação e desenvolvimento de software, a iniciativa visa receber cerca de mil alunos por ano no Vale do Silício, nos EUA, berço do empreendedorismo digital no mundo e celeiro de grandes potências da tecnologia. Os trabalhos sempre são feitos em grupos e a avaliação é feita entre os próprios estudantes onde um avalia o trabalho do outro. Para uns pode ser algo maluco o fato de existir uma escola sem professor, mas para algo idealizado no Vale do Silício nada parece ser impossível, empresas como Uber e Airbnb são grandes exemplos disso, que dá para construir uma frota gigante sem nenhum veículo ou dispor de milhares de hospedagens sem possuir nenhum quarto de hotel.

 

A escola possui o nome de 42 US e tem como empreendedor o milionário francês Xavier Niel e alguns sócios vindos de start-ups do setor de tecnologia que pretendem revolucionar a educação com um método diferente do tradicional que une aprendizagem por projetos e conhecimento colaborativo. Há uma seleção de projetos, cada um recebe ajuda dos outros,  a avaliação também é feita pelos alunos sendo escolhidos de forma aleatória, fontes de conhecimento gratuitas na internet também podem ser usadas, o projeto escolhido pode ser a criação de um game ou website por exemplo, o processo se assemelha a um trabalho cotidiano de uma empresa. A progressão do aluno é bem semelhante com  os jogos onde ao atingir o nível 21 de desenvolvimento dentro do programa, o estágio final, conquista o direito a formatura que se dá através de um certificado, não um diploma como tradicionalmente acontece.

 

Para a chefe de operações da 42 na Califórnia, Brittany Bir, quem passou pela 42 é mais capaz de trabalhar em grupo, discutir e defender ideias – qualidades procuradas no mundo real do mercado de trabalho em tecnologia. “Isso é especialmente importante na área de programação, onde há uma falta de determinadas habilidades humanas.” Mesmo o aprendizado colaborativo sendo algo sugerido por muitos professores como uma ferramenta dinâmica e inovadora, alguns especialistas contestam a ausência total de algum profissional de educação para supervisão com profissional especializado.

 

 

*Se deseja informar algum erro, adicionar alguma informação que agregue a este conteúdo ou alertar sobre direito autoral infringido por favor CLIQUE AQUI, agradecemos desde já a contribuição.

    comentar:

    Política de comentários:

    Faça o bom uso desse espaço, de forma respeitosa. Comentários anônimos não serão permitidos, ou os que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. A configuração de comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos e etc. serão excluídos pelos moderadores do site sem aviso prévio diante análise interna. Não são permitidos links e propaganda de produtos e serviços.