Alunos criam carro que permite cadeira de rodas na praia

Estudantes de Natal/RN criaram um protótipo chamado Crab que viabiliza o deslocamento de cadeirantes em solo arenoso como da praia por exemplo

Alunos do ensino médio do Instituto Federal do RN, Campus Zona Norte, criaram um protótipo chamado Crab, trata-se de um carro capaz de ajudar a locomoção de cadeirantes em terrenos arenosos como a areia da praia por exemplo, o mais novo e bem sucedido teste foi divulgado em vídeo que já ultrapassa as 120 mil visualizações, co projeto contou com ajuda do programa Caldeirão na TV Globo, onde os estudantes do curso Técnico em Eletrônica, Iago Souza e Maraysa Araújo,  conquistaram o prêmio de 30 mil reais durante participação no quadro Jovens Inventores em setembro de 2015 recebendo a nota máxima dos avaliadores e assim conquistaram condições reais de executar o ousado projeto de inovação pela mobilidade e segundo um dos jovens, viabilizar uma produção em larga escala. O Crab é um robô movido a energia solar criado pelos alunos sob a orientação dos professores Arthur Salgado e João Teixeira.

 

Tudo começou a partir da vontade de resolver o problema de um amigo que é cadeirante com a falta de mobilidade na areia da praia, logo então pensaram em algumas soluções possíveis e surgiu a ideia de criar um carrinho com esteiras adaptado para pessoas com mobilidade reduzida, comentaram os estudantes. O veículo foi idealizado e produzido graças a uma pesquisa feita em parceria entre o IFRN e a Universidade Petrobras através do Programa de Formação em Recursos Humanos.

 

Além do sucesso durante a participação no programa na TV, os jovens também atingiram outros feitos ficando entre os 4 melhores do Brasil em feira de ciências e engenharia realizado na feira universitária da USP, em São Paulo/SP. Um detalhe, é que o nome Crab se refere a caranguejo em inglês, o protótipo é coberto por placas fotovoltaicas que garantem o funcionamento sob o sol e a partir do momento que a irradiação solar diminui o sistema passa a utilizar de energia armazenada em baterias.

 

O projeto rendeu aos jovens inventores novos horizontes além das fronteiras brasileiras, garantindo lugar em concurso no México, na Universidade Autônoma de Guadalajara, como também em mostra tecnológica na Romênia, na Infomatrix.

 

 

*Se deseja informar algum erro, adicionar alguma informação que agregue a este conteúdo ou alertar sobre direito autoral infringido por favor CLIQUE AQUI, agradecemos desde já a contribuição.

    comentar:

    Política de comentários:

    Faça o bom uso desse espaço, de forma respeitosa. Comentários anônimos não serão permitidos, ou os que firam leis e princípios éticos e morais ou que promovam atividades ilícitas. A configuração de comentários caluniosos, difamatórios, preconceituosos, ofensivos, agressivos e etc. serão excluídos pelos moderadores do site sem aviso prévio diante análise interna. Não são permitidos links e propaganda de produtos e serviços.